Metodologia IFN-PR

Metodologia IFN-PR

  • Última atualização em Quinta, 22 de Novembro de 2018, 15h09

ifn pr metodologia grade pontos amostraisO Inventário Florestal Nacional (IFN) baseia-se na coleta de dados em campo para conhecimento da qualidade e condição das florestas, em milhares de pontos amostrais sobre todo o país.

No estado do Paraná, a coleta de dados em campo ocorreu em 550 pontos amostrais (conglomerados) distribuídos sistematicamente sobre todo o território do estado.

As informações foram levantadas em três componentes: análise da cobertura florestal, coleta de dados biofísicos e levantamento socioambiental.

Análise da cobertura florestal

As análises referentes à extensão dos recursos florestais do Paraná basearam-se em dados do Mapeamento de Uso e Cobertura da Terra do estado do Paraná,realizado pelo ITCG (2014) com imagens de satélite SPOT 5 – Paranacidade ano 2005/2006. Para os dados de Florestas Plantadas, foram utilizados os dados referente ao Mapeamento das florestas plantadas do estado do Paraná, realizado pelo Instituto de Florestas do Paraná, Serviço Florestal Brasileiro e Associação Paranaense de Empresas de Base Florestal (EISFELD; NASCIMENTO, 2015).

Para efeito de comparação em escala nacional, também é apresentado a área total de florestas do Paraná conforme os dados nacionais de estimativa da área de florestas do Brasil. Este trabalho é realizado pelo SFB (2018), com base no mapa da vegetação brasileira do IBGE (2018) e dados de desmatamentos obtidos pelos projetos de Monitoramento dos Biomas Brasileiros por Satélite - PMDBBS e Prodes, realizado na escala de 1: 250.000 e imagens com 30 metros de resolução espacial.

Coleta de dados biofísicos

Em cada ponto da grade amostral foi instalado um conglomerado com quatro subunidades amostrais de 1.000 m² (20 m x 50 m), representando uma área total de 4.000 m². Em cada subunidade foram levantadas as características de uso do solo e coletados dados da vegetação existente, como o diâmetro e altura total das árvores, cactos e palmeiras, que atenderam ao critério de inclusão do diâmetro à altura do peito (DAP) superior a 10 cm. Foram também registradas a qualidade e a sanidade das árvores e coletadas amostras de material botânico (folhas, flores e frutos). Ainda, em cada subunidade, uma parcela menor (10 m x 10 m) foi destinada à medição de arbustos e árvores com DAP entre 5 e 10 cm, e outras quatro (0,4 m x 0,6 m) destinadas ao levantamento das herbáceas. No total, foram mensurados 47.589 indivíduos entre árvores e palmeiras e coletadas 5.532 amostras botânicas de espécies arbóreas, arbustivas, herbáceas e palmeiras.

Para a coleta de dados sobre a necromassa, foram instalados dois transectos de 10 m, perpendiculares entre si e formando 45° em relação aos pontos cardeais. Foram medidos os diâmetros de todos os materiais lenhosos mortos que cruzavam o transecto, com diâmetro maior ou igual a 2,5 cm. A coleta de amostras de solo foi feita preferencialmente em um raio de até 5 m do ponto central de cada conglomerado. Amostras a granel foram coletadas nas profundidades de 0 - 20 cm e 30 - 50 cm, utilizando trado holandês ou cavadeira. Sempre que possível, amostras indeformadas foram coletadas nestas mesmas profundidades, para averiguação da densidade, volume e carbono no solo.

As amostras de solo foram armazenadas em sacos plásticos resistentes e enviadas ao laboratório da Fundação Norte Fluminense de Desenvolvimento Regional – Fundenor para análises químicas e físicas. Os dados coletados em campo foram enviados ao SFB para consolidação e análises. As coletas botânicas foram enviadas para o Herbário do Museu
Botânico Municipal de Curitiba – MBM para a identificação das espécies, que foi consolidada em março de 2018.

Levantamento socioambiental

Para aplicação do questionário socioambiental, foram selecionados quatro domicílios preferencialmente em um raio de 4 km de cada ponto amostral. A coleta de dados socioambientais foi feita por meio de entrevistas domiciliares e teve como objetivo obter informações sobre o uso de produtos florestais e a percepção dos moradores locais sobre os recursos florestais.

Foram entrevistados 1.836 moradores rurais, que vivem no entorno dos pontos amostrais de coleta de dados do IFN-PR.

Baixe o relatório com os pdf principais resultados do IFN-PR (9.64 MB) .

 

 

 

 

Mais sobre o IFN