Serviço Florestal Brasileiro promove webinário para debater bieconomia da floresta

Serviço Florestal Brasileiro promove webinário para debater bieconomia da floresta

  • Publicado: Quarta, 23 de Setembro de 2020, 11h30
  • Última atualização em Quarta, 23 de Setembro de 2020, 11h34

Especialistas vão falar sobre a cadeia produtiva do do açaí e da castanha-do-brasil nos estados do Pará, Amapá e Mato Grosso

2020 09 24 webinario Castanha

O Serviço Florestal Brasileiro (SFB) promove o Seminário “Bioeconomia da Floresta: Desafios e Oportunidades para o Desenvolvimento da Cadeia do do Açaí e da Castanha nos estados do Pará, Amapá e Mato Grosso”. O evento virtual vai acontecer amanhã (24), às 14h30 (horário de Brasília) e contará com a participação de pesquisadores da Embrapa, da Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), da Companhia Brasileira de Abastecimento (Conab), do Banco da Amazônia e do SFB.

O objetivo do evento é estimular a atuação dos gestores dos municípios localizados na região para a promoção da bioeconomia local, com foco no fomento e no desenvolvimento das cadeias do açaí e da castanha-do-brasil.

Os especialistas vão discutir a bioeconomia da floresta na região; desafios e oportunidades para a promoção da cadeia do açaí; desafios e oportunidades para a promoção da cadeia da castanha-do-brasil; oportunidades de promoção para as cadeias da sociobiodiversidade e oportunidades de compra e subvenção de produtos da sociobiodiversidade.

Produtos não madeireiros

Os produtos florestais não madeireiros, oriundos da biodiversidade brasileira, produzem cerca de 700 mil toneladas de alimentos e arrecadam 1,2 bilhões de reais. Os principais produtos alimentícios da Amazônia são: açaí e castanha-do-brasil. O açaí responde por quase 50% do total arrecadado, cerca de 600 milhões por ano, e a castanha-do-brasil arrecada R$130 milhões por ano.

Segundo dados do IBGE, o estado do Amazonas, em 2018, produziu 31.9 mil toneladas de castanha-do-brasil, ou seja, 93,6% do total produzido no Brasil. Os estados do Pará, Acre e Mato Grosso produziram 7.7 mil, 7.6 mil e 2.1 mil toneladas, respectivamente.

Em relação ao açaí, o estado Pará liderou a produção com 147.7 mil toneladas, ou seja, 67% do total produzido no país que representou 221.6 mil toneladas, em 2018, segundo dados do IBGE.

Os números refletem a importância da floresta, da extração dos produtos não madeireiros, para as comunidades locais, tanto pela segurança alimentar quanto para a geração de emprego e renda.

Webinários

O seminário “Bioeconomia da Floresta: Desafios e Oportunidades para o Desenvolvimento da Cadeia do do Açaí e da Castanha nos estados do Pará, Amapá e Mato Grosso” tem como público alvo secretários municipais de Agricultura e de Meio Ambiente, prefeitos, técnicos extensionistas da Emater e de cooperativas e de consórcios públicos, pesquisadores, estudantes e público em geral.

O evento será  transmitido  pelo Serviço Florestal Brasileiro em seu canal do Youtube.

WhatsApp Image 2020 09 23 at 09.12.28 1

Programação:

Cadeia do açaí e castanha (Amazônia): 24/09 - 14h30

Cadeia do açaí e castanha (Amazônia): 30/09 - 14h30

Canal: Youtube.com/SFBflorestal  

Categoria:

 Contato para a Imprensa

Serviço Florestal Brasileiro
Assessoria de Comunicação
(61) 2028-7130/ 7155
imprensa@florestal.gov.br

Siga-nos no Twitter: sfb_florestal
Facebook: florestal.gov
Youtube: SFBflorestal