Sistema Detex é ensinado em curso de Geotecnologia Aplicada

Sistema Detex é ensinado em curso de Geotecnologia Aplicada

  • Publicado: Quarta, 11 de Março de 2020, 17h04
  • Última atualização em Quarta, 11 de Março de 2020, 17h04

A ferramenta foi desenvolvida pelo Serviço Florestal Brasileiro, em parceria com o INPE, para acompanhar as concessões florestais

2020 03 11 URNE capaA analista ambiental do Serviço Florestal Brasileiro, Ana Shaura Pinheiro, ministrou, no último dia 06, o módulo 7 (aplicação da metodologia do sistema de mapeamento da exploração seletiva de madeira – Detex), do Curso Básico de Geotecnologia Aplicada.  

O curso foi ministrado para servidores do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam), da Agencia Brasileira de Inteligência Nacional (Abin), da Secretaria de Planejamento de Porto Velho, da Secretaria Estadual de Meio Ambiente de Rondônia (Sedam), da Defesa Civil do Acre e da Secretaria Municipal de Planejamento Orçamento e Gestão do Acre (Sempog). 

O treinamento aconteceu na sede do Censipam, em Porto Velho (Rondônia), para atender a necessidade de capacitação de novos servidores de vários órgãos do Governo Federal e estaduais. O treinamento, ofertado pelo Censipam, foi composto por vários módulos com duração de uma semana e foi ministrado por servidores do órgão, sendo que um desses módulos foi dado pela analista ambiental do Serviço Florestal Brasileiro.

Ana Shaura é servidora da Unidade Regional Purus Madeira do Serviço Florestal Brasileiro (URPM/SFB) e explica que o módulo ministrado teve o objetivo de introduzir a teoria sobre os fundamentos da metodologia do Detex. “O objetivo foi fazer com que os participantes entendessem com mais clareza o contexto em que se insere essa metodologia”, explicou.

Os tópicos do módulo dado foram divididos em:  Noções para interpretação visual de imagens e os padrões de corte seletivo; Plataformas para aquisição de imagens e Metodologia Detex.O evento foi uma oportunidade para fortalecer o vínculo com instituições parceiras, bem como, divulgar o trabalho de monitoramento realizado na Unidade Regional Purus Madeira, cuja influência abrange várias áreas concedidas. 

Sobre o Detex 20203 11 URNE 02

O sistema de Detecção da Exploração Seletiva (Detex) é uma ferramenta de sensoriamento remoto usada pelo Serviço Florestal Brasileiro para acompanhar as concessões florestais.   O sistema foi desenvolvido pelo Serviço Florestal, em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), para aprimorar o monitoramento nas concessões florestais.

O Detex possui uma metodologia específica para este tipo de análise capaz de realçar os indícios da exploração seletiva de madeira, tais como alterações no dossel (copas) da floresta e aberturas de estradas, ramais e pátios de exploração.

O Detex é usado primeiro na fase de planejamento das concessões, quando são analisadas imagens de satélite para o mapeamento das atividades antrópicas (modificações feitas pelos humanos) anteriores na área. Dessa maneira, os futuros concessionários podem saber o real potencial da floresta e o Serviço Florestal Brasileiro, os impactos pré-existentes nas áreas.

Em seguida, após o início das atividades nas concessões, o Detex é utilizado para o acompanhamento da exploração madeireira. Periodicamente, uma varredura das florestas sob concessão e do seu entorno é realizada para identificação das áreas onde há exploração seletiva de madeira recente. Isso permite ao SFB avaliar o cumprimento da execução do Plano de Manejo Florestal Sustentável (PMFS), por parte dos concessionários, e alertar os órgãos competentes caso alguma irregularidade seja encontrada, dentro ou próximo à concessão.

Para mais informações, acesse: 

http://www.florestal.gov.br/monitoramento​  

Categoria:

 Contato para a Imprensa

Serviço Florestal Brasileiro
Assessoria de Comunicação
(61) 2028-7130/ 7155
imprensa@florestal.gov.br

Siga-nos no Twitter: sfb_florestal
Facebook: florestal.gov
Youtube: SFBflorestal