Serviço Florestal Brasileiro

Portal do Governo Brasileiro

Mídias e Ferramentas

Brasília, 26 de Abril de 2018

Busca no sítio

Monitoramento de Incêndios Florestais

 

#Focos de calor

Desde 1998, diariamente o INPE disponibiliza dados de focos de calor de vários satélites. Os dados das passagens noturnas dos satélites NOAA e dos satélites Terra e Aqua (sensor MODIS) são carregados no sistema de informações do IBAMA. Por meio de um sistema de informações geográficas, imagens de satélites e várias bases com informações detalhadas sobre todo o território nacional, a equipe de monitoramento identifica áreas de risco de ocorrência de incêndios.

Os focos de calor detectados nas áreas de risco entram em um sistema de alerta que os classifica de acordo com a persistência, a localidade e o risco que oferecem.

Nas estatísticas são usados os dados dos focos de calor detectados pelos satélites NOAA-12 noite (de junho de 1998 até agosto de 2007) e NOAA-15 noite (a partir de agosto de 2007).

Fonte: INPE (2017)
OBS: pequenas diferenças podem ser obtidas no número de focos de calor ao considerar o número toal para o Brasil e o somatório dos estados.
 

Clique aqui para baixar uma tabela contendo os dados de focos de calor para o Brasil.
Clique aqui para baixar uma tabela contendo os dados de focos de calor por estado.

Para saber mais sobre o monitoramento de queimadas acesse: PrevFogo/IBAMA

 

Data da atualização: 27/11/2017

#Área queimada

O Programa de Monitoramento de Queimadas/Incêndios Florestais do INPE (http://www.inpe.br/queimadas) é realizado operacionalmente desde 1998 em conformidade com a Ação 20V9/PPA 2036 no orçamento do Ministério do Planejamento, com o objetivo de "monitorar a cobertura da terra e o impacto do fogo com o uso de imagens de satélites, para apoiar as ações de gestão ambiental e controlar o desmatamento, queimadas e incêndios florestais". 

O objetivo é detectar e quantificar regularmente por meio de imagens de satélites a extensão da vegetação queimada no país.

Este monitoramento utiliza imagens de baixa (0,3 a 1 km) e média (10 a 50 m) resolução espacial para estimar operacionalmente e em modo automático a superfície queimada no país, gerando mapas digitais, comparações temporais, e produtos de apoio à gestão e avaliação do impacto do uso do fogo na vegetação.

Segue abaixo o painel com os dados de área queimada no Brasil por bioma no período de 2001 a 2017.

Fonte: INPE (2017)
OBS: O painel acima utilizou dados de área queimada de resolução de 1km.

Para saber mais sobre o monitoramento de área queimada no Brasil, acesse aqui.

Data de atualização: 15/12/2017

Compartilhar:
  • Adicionar aos Favoritos (depende do seu navegador)
  • Facebook
  • Twitter

  • Banner
  • Banner
  • Banner