Serviço Florestal Brasileiro

Portal do Governo Brasileiro

Mídias e Ferramentas

Brasília, 28 de Julho de 2016

Busca no sítio

Produção Florestal

Produção

Produção é a atividade de transformação (processo) de matéria-prima em bens de consumo (produtos). Na produção florestal, a matéria-prima pode ser provenientes de florestas plantadas ou de florestas naturais. A transformação da matéria-prima florestal resulta em produtos madeireiros e não madeireiros.
 

#Produtos Madeireiros

Produto Madeireiro é todo o material lenhoso passível de aproveitamento para: serraria, estacas, lenha, poste, moirão, etc...

As informações mostradas nas tabelas abaixo referem-se aos dados obtidos através da Pesquisa Industrial Anual-Produto (PIA-Produto) do IBGE. O PIA-Produto disponibiliza, anualmente, informações referentes a produtos e serviços industriais produzidos pela indústria brasileira.

As informações sobre as mercadorias e serviços industriais são levantadas segundo uma nomenclatura de produtos preestabelecida, a Lista de Produtos da Indústria, Prodlist-Indústria. O Serviço Florestal Brasileiro elaborou uma filtragem dos itens da Prodlist, com a finalidade de consolidar as informações sobre a quantidade vendida e seu respectivo valor para os principais produtos da cadeia produtiva do setor florestal. Essa lista pode ser consultada clicando aqui.

Os dados produzidos pelo IBGE são divulgados anualmente no produto "Tabela 1 - Produção e vendas dos produtos e/ou serviços industriais, segundo as classes de atividades e a descrição dos produtos - Brasil – ano”. A informação para série histórica pode ser obtida por meio de consulta ao SIDRA – Sistema IBGE de Recuperação Automática (). É importante observar que esse banco SIDRA pode ser atualizado pelo IBGE, portanto, os dados apresentados aqui se referem à consulta realizada na data de atualização.

A disponibilização dessas informações permite o acompanhamento da evolução da produção e valor de produtos florestais industriais.
 

Variáveis analisadas:
- Número de informações: corresponde à soma das unidades locais que informam o produto, sendo que unidade local é o espaço físico, geralmente uma área contínua, no qual uma ou mais atividades econômicas são desenvolvidas, correspondendo a um endereço de atuação da empresa.
- Quantidade produzida: refere-se à quantidade total do produto fabricado no ano pelas empresas do mesmo segmento industrial, independente do destino (vendido ou transferido para outras unidades locais da mesma empresa, mantido em estoque, incorporado ao ativo ou distribuído gratuitamente).
- Valor da produção: refere-se à soma dos valores da produção de todos os informantes do produto. Variável construída, para cada ocorrência de produto, através do seguinte critério: valor da produção = valor médio de venda (valor das vendas/quantidade vendida) x quantidade produzida.

As informações para os produtos no nível de detalhamento PRODLIST-Indústria com um ou dois informantes são omitidas.
 
 

Número de declarantes de determinado produto, para cada pesquisa anual

  

Fonte: PIA-Produto 2013/IBGE (2016) adaptado SFB

 

Produção anual e valor de produção por segmento madeireiro

Fonte: PIA-Produto 2013/IBGE (2016) adaptado SFB

Observações:
- Há um valor destoante da série histórica para o produto Papel e cartão em 2008. Essa discrepância se deve ao item “1749.2040 Artigos diversos de papel-filtro e de outros papéis, papel-cartão ou pastas (Toneladas)”, que no ano de 2008 teve uma produção de 3.871.364 toneladas, enquanto a média dos outros anos é de 70.000 toneladas.

- Produtos Secundários de Madeira: se destacam em quantidade e valor os produtos "Portas ou janelas de madeira" (m2) e "Molduras de madeira para quadros, fotografias, espelhos ou objetos semelhantes" (m). Inclui também madeira perfilada, paletes, tacos e frisos de madeira, caixotes, painéis para assoalhos, construções pré-fabricadas, entre outros.
- Produtos Secundários de Papel: inclui embalagens, caixas, papéis de uso sanitário, cadernos, etiquetas e outros.



Os gráficos abaixo representam a evolução da quantidade e valor de produção ao longo do tempo. Ao passar o mouse  pelos gráficos, é possível verificar os valores correspondentes a cada ponto.

Fonte: PIA-Produto 2013/IBGE (2016) adaptado SFB
 


As Associações dos setores madeireiros divulgam a quantidade de seus respectivos produtos madeireiros. Esses valores podem variar em relação à quantidade publicada pelo IBGE. Para visualizar os dados das Associações, clique aqui.

 


Data da atualização: 01/03/2016
 

#Produtos Não Madeireiros

Produtos Não Madeireiros são produtos florestais não-lenhosos de origem vegetal, tais como resina, cipó, óleo, sementes, plantas ornamentais, plantas medicinais, etc..., bem como serviços sociais e ambientais, como reservas extrativistas, seqüestro de carbono, conservação genética e outros benefícios oriundos da manutenção da floresta.
 

Quantidade (toneladas) e valor (mil R$) dos principais produtos florestais não-madeireiros de florestas naturais
Produto2 2009 2010 2011 2012 2013 2014
  Qtde Valor Qtde Valor Qtde Valor Qtde Valor Qtde Valor Qtde Valor
Alimentícos 396.023 325.381 417.431 366.395 514.355 525.175 519.599 608.051 619.870 934.923 614.332 969.624
Aromáticos, medicinais, tóxicos e corantes 794 1.352 583 2.024 729 2.282 551 1.679 458 1.763 459 1.501
Borrachas 3.463 7.603 3.516 8.235 3.005 8.202 2.337 6.677 1.958 7.682 1.539 5.777
Ceras 21.132 97.136 21.462 103.603 21.274 108.268 20.330 113.596 20.363 139.196 20.662 172.327
Fibras 75.075 113.588 66.222 121.399 65.903 128.199 61.841 114.120 49.080 89.583 48.473 100.473
Oleaginosos 121.650 140.041 117.891 152.617 115.099 163.545 104.182 139.096 96.148 136.596 90.441 138.198
Tanantes 181 119 202 119 178 138 170 162 148 146 138 142
Gomas não elásticas 41 139 7 21 1 3 1 2 0 0 1 2
Total 618.318 685.220 627.307 754.392 720.543 935.809 709.010 983.381 788.025 1.309.889 776.045 1.388.044

Fonte: IBGE.PEVS (2015), adaptado SFB.GEIF

Para visualizar a tabela completa "Quantidade e valor dos principais produtos florestais não madeireiros", clique aqui.
 


Quantidade de produtos não madeireiros extraídos das florestas naturais 
Fonte:
IBGE.PEVS (2015), adaptado SFB.GEIF

 

Produto 2009 2010 2011 2012 2013 2014
  Qtde Valor Qtde Valor Qtde Valor Qtde Valor Qtde Valor Qtde Valor
Quantidade (toneladas) e valor (mil R$) dos principais produtos não madeireiros de florestas plantadas
Acácia-negra (casca) 109.010 10.554 107.171 9.586 105.578 11.779 103.006 13.071 72.802 10.724 69.991 11.148
Eucalipto (folha) 64.077 2.459 96.907 4.064 56.797 2.544 46.474 2.310 56.743 2.830 24.600 1.491
Resina de Pinus 56.565 76.331 71.073 126.026 71.619 137.528 73.776 117.688 73.463 130.225 72.007 203.424
Total 229.652 89.344 275.151 139.676 233.994 151.871 223.256 133.069 203.008 143.779 166.598 216.063
                             

Fonte: IBGE.PEVS (2015), adaptado SFB.GEIF

Para visualizar a tabela completa "Quantidade e valor dos principais produtos não madeireiros de florestas plantadas", clique aqui.
 

Quantidade dos principais produtos não madeireiros de florestas plantadas
Fonte: IBGE.PEVS (2015), adaptado SFB.GEIF
 

Data da atualização: 06/11/2015

#Evolução do Valor de Produção

      

Evolução do valor de produção de produtos madeireiros e não madeireiros extraídos de Florestas Naturais e de Florestas Plantadas
Fonte:
IBGE.PEVS (2015), adaptado SFB.GEIF
 

Evolução do percentual de participação no valor de produção de produtos madeireiros e não madeireiros extraídos de Florestas Naturais e de Florestas Plantadas
Fonte:
IBGE.PEVS (2015), adaptado SFB.GEIF
 

Data da atualização: 06/11/2015

 

A região norte do Brasil tem um importante papel no mercado de produtos florestais, sendo o maior fornecedor de produtos madeireiros e não madeireiros para as demais regiões do Brasil e exterior. Sob este aspecto o Serviço Florestal Brasileiro em parceria com Imazon realizou em 2009 um estudo sobre os Pólos Madeireiros da Amazônia. Veja abaixo alguns dados desse estudo.

 

#Contextualização dos Pólos Madeireiros da Amazônia

Em 2004, na Amazônia Legal existiam 3.132 empresas madeireiras em funcionamento. Sendo, 60% serrarias, 32% microsserarias, 6% laminadoras e 2% fábricas de compensado. Essas empresas consumiram 24,5 milhões de metros cúbicos de toras, que resultaram 10,4 milhões de metros cúbicos de madeira processada (madeira serrada, laminados, compensados e produtos beneficiados). Isso representava um rendimento médio de processamento de 42%. A maior parte da produção processada foi madeira serrada (63%). Os laminados e compensados totalizaram 21%, enquanto que a madeira beneficiada (portas, janelas, pisos, forros, etc.) totalizou 16% da produção (LENTINI et al., 2005).

Em 2009, na Amazônia Legal existiam 2.227 empresas madeireiras em funcionamento. Aproximadamente 66% eram serrarias e 18% eram microsserrarias. As beneficiadoras somaram 8%, as laminadoras/faqueadoras somaram 6% e as fábricas de painéis somaram pouco menos de 2%. Essas madeireiras extraíram em torno de 14,2 milhões de metros cúbicos de madeira em tora, que resultou na produção de 5,8 milhões de metros cúbicos de madeira processada. Isso representou um rendimento médio de processamento de 41%. A maioria (72%) dessa produção era madeira serrada com baixo valor agregado (ripas, caibros, tábuas e similares). Outros 15% foram transformados em madeira beneficiada com algum grau de agregação de valor (pisos, esquadrias, madeira aparelhada, etc.); e o restante (13%), em madeira laminada e compensada (SFB & IMAZON, 2010).

#Tipos de Empresas Processadoras de Madeira

Microsserrarias (ou pequena serraria): o desdobro da madeira em tora é feito de maneira simples, através de serras circulares, que funcionam com o uso de motores a diesel, serras induspan ou serras-de-fita horizontais (também conhecidas como engenhos). Em geral, esses equipamentos são bastante rudimentares e possuem baixo rendimento de processamento. As microsserrarias são também caracterizadas por empregarem menos de 10 pessoas cada.

Serrarias (de médio e grande porte): o processamento das toras ocorre por meio da utilização de serras-de-fita, horizontais ou verticais, e em alguns casos serras tipo Induspan. O produto acabado apresenta melhor qualidade (madeira processada com dimensões mais precisas) e o equipamento permite o processamento de quase todas as espécies de valor comercial. O porte da serraria varia de acordo com a quantidade de serras-de-fita que ela possui, o que significa maior capacidade de processamento instalada. Geralmente esse tipo de empresa madeireira emprega mais de 10 pessoas. Algumas serrarias realizam o beneficiamento de parte da madeira. Porem, a maior parte da produção comercializada (50% ou mais) trata-se da madeira serrada bruta.

Beneficiadoras: são aquelas empresas que realizam o beneficiamento da madeira serrada. O beneficiamento consiste na geração de produtos com maior valor agregado, tais como pisos, decks e forros. Como as serrarias, essas empresas utilizam serras-de-fita para o desdobro das toras, além de fazerem uso de plainas para o beneficiamento da madeira serrada. A maior parte da produção (maior ou igual a 50%) é composta por madeira serrada beneficiada.

Laminadoras: são empresas que produzem lâminas de madeira de 1 a 3 mm de espessura para a fabricação de compensados. Os equipamentos utilizados para o desdobro de toras nesses empreendimentos são os tornos laminadores ou máquinas faqueadoras.

Fábricas de painéis: desdobram a madeira em tora e possuem a mesma tecnologia empregada nas laminadoras, ou seja, utilizam tornos ou faqueadoras. As lâminas de madeira são secas em estufas e, posteriormente, submetidas à colagem e prensagem para a fabricação de chapas de compensados.

#Resultados do Estudo Realizado em 2009

Veja a seguir a tabela com o resultado sobre a amostragem das empresas madeireiras por estado e por tipo de empresa madeireira.

Estado Micros-serraria Serrarias Laminadora Fábrica de Painéis Beneficiadora Total de empresas Entrevistas Amostra (%)
Amostragem das empresas madeireiras por estado e por tipo de empresa madeireira.
Acre - 16 3 - 5 24 18 75
Amapá 41 7 - - - 48 18 38
Amazonas 2 53 - - 4 59 37 62
Maranhão - 53 - 1 - 54 10 19
Mato Grosso 56 411 45 13 64 589 217 37
Pará 445 466 34 8 45 1.023 337 33
Rondônia 28 226 32 4 56 346 178 52
Roraima 5 27 2 - 3 37 18 49
Total 577 1.259 116 26 177 2.180 833 38
                 

Fonte: SFB & Imazon (2010).

Estado Número de empresas Consumo Anual de Toras (milhares m³) Produção Processada (milhares m³) Empregos gerados
Produção madeireira e empregos por Estado.
Acre 24 422 193 4.641
Amapá 48 94 41 1.516
Amazonas 58 367 143 6.524
Maranhão 54 254 90 3.975
Mato Grosso 589 4.004 1.795 56.932
Pará 1.023 6.295 2.436 90.829
Rondônia 346 2.218 925 34.825
Roraima 37 188 70 2.865
Amazônia Legal 2.252 13.779 5.675 202.107
         

Fonte: SFB & Imazon (2010).

Estado Média Máximo Mínimo Desvio Padrão Intervalo de variação Limite inferior Limite superior
Custo de Processamento (R$/m³ de madeira em tora)
Acre 118 500 40 124 460 48 188
Amapá 51 140 9 46 131 27 75
Amazonas 134 975 25 189 950 60 208
Maranhão 47 65 30 11 35 40 54
Mato Grosso 86 396 30 56 366 78 95
Pará 106 950 10 104 940 92 120
Rondônia 73 275 14 33 262 67 78
Roraima 79 160 35 40 125 59 99
Amazônia Legal 93 975 9 90 966 86 100
               

Fonte: SFB & Imazon (2010).

Estado Média Máximo Mínimo Desvio Padrão Intervalo de variação Limite inferior Limite superior
Preço médio de madeira em tora (R$/m³)
Acre 200 450 120 79 330 185 214
Amapá 104 287 15 87 272 82 126
Amazonas 154 550 40 100 510 140 168
Maranhão 161 250 100 45 150 143 179
Mato Grosso 227 640 60 87 580 222 233
Pará 188 850 10 108 840 182 193
Rondônia 154 500 60 61 440 150 158
Roraima 152 420 25 62 395 142 162
Amazônia Legal 185 850 10 95 840 182 188
               

Fonte: SFB & Imazon (2010).

Estado Média Máximo Mínimo Desvio Padrão Intervalo de variação Limite inferior Limite superior
Preço de madeira processada (R$/m³)
Acre 922 1725 350 338 1375 861 983
Amapá 575 2100 88 460 2012 467 683
Amazonas 707 2494 135 382 2359 661 754
Maranhão 635 1000 400 186 600 546 723
Mato Grosso 835 3700 150 357 3550 811 859
Pará 755 3000 45 367 2955 736 774
Rondônia 729 4000 150 390 3850 705 753
Roraima 637 1900 400 235 1500 598 675
Amazônia Legal 759 4000 45 373 3955 748 771
               

Fonte: SFB & Imazon (2010).

Estado Amazônia Legal Nacional Externo
Caracterização do Mercado dos Produtos Madeireiros através do destino da madeira processada (% da produção)
Acre 10 55 35
Amapá 40 46 14
Amazonas 41 26 33
Maranhão 42 58 0
Mato Grosso 11 80 9
Pará 21 49 30
Rondônia 9 88 3
Roraima 48 14 38
Amazônia Legal 17 62 21
       

Fonte: SFB & Imazon (2010).

Compartilhar:
  • Adicionar aos Favoritos (depende do seu navegador)
  • Facebook
  • Twitter

  • Banner
  • Banner
  • Banner