Serviço Florestal Brasileiro

Portal do Governo Brasileiro

Mídias e Ferramentas

Brasília, 24 de Novembro de 2014

Busca no sítio

Entenda o SNIF

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE MADEIRA PROCESSADA MECANICAMENTE (ABIMCI). Dados sobre produção de madeira para preenchimento do questionário do ITTO [mensagem pessoal]. 2012. Mensagem recebida por <renato.thormin@florestal.gov.br> em jun. 2012.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE PAPÉIS DE MADEIRA (ABIPA). Números [produção madeireira no Brasil]. São Paulo, 2012. Disponível em: <http://www.abipa.org.br/numeros.php>. Acesso em: 22 out. 2012.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CELULOSE E PAPEL - BRACELPA. Números do Setor. Disponível em: <htpp://www.bracelpa.org.br/bra/estatisticas/index.html>. Acesso em: 21 set. 2009.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CELULOSE E PAPEL (BRACELPA). Relatório Estatístico 2011/2012. 2012. Disponível em: <http://www.bracelpa.org.br/bra2/sites/default/files/estatisticas/rel2012.pdf>. Acesso em: 27 nov. 2012.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PRODUTORES DE FLORESTAS PLANTADAS (ABRAF). Anuário estatístico da ABRAF 2010 ano base 2009. Brasília: ABRAF, 2010. 140 p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PRODUTORES DE FLORESTAS PLANTADAS (ABRAF). Anuário estatístico da ABRAF 2012 ano base 2011. Brasília: ABRAF, 2012. 149 p.

BRASIL. Casa Civil. Decreto nº 4.722, de 05 de junho de 2003. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 06 jun. 2003. Seção 1, p. 12.

BRASIL. Casa Civil. Decreto nº 45.113, de 05 de junho de 2009. Minas Gerais Diário do Executivo, Belo Horizonte, 06 jun. 2009. Col. 2, p. 1.

BRASIL. Casa Civil. Decreto nº 5.975, de 30 de novembro de 2006. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 01 dez. 2006. Seção 1, p. 1.

BRASIL. Casa Civil. Decreto nº 6.874, de 05 de junho de 2009. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 08 jun. 2009. Seção 1, p. 1.

BRASIL. Casa Civil. Decreto nº 7.167, de 05 de maio de 2010. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 06 maio 2010. Seção 1, p. 4.

BRASIL. Casa Civil. Decreto nº 7.747, de 5 de junho de 2012. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 06 junho. 2012. Seção 1, p. 9-11.

BRASIL. Casa Civil. Grupo Permanente de Trabalho Interministerial para a Redução dos Índices de Desmatamento da Amazônia Legal. Plano de ação para a prevenção e controle do desmatamento na Amazônia Legal [PPCDAM]. Brasília, 2004. 156 p. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/casacivil/desmat.pdf> Acesso em: 13 out. 2010.

BRASIL. Casa Civil. Lei nº 11.284, de 02 de março de 2006. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 03 mar. 2006. Seção 1, p. 1-9.

BRASIL. Casa Civil. Lei nº 12.651, de 02 de março de 2006. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 28 maio. 2012. Seção 1, p. 1-8.

BRASIL. Casa Civil. Lei nº 9.985, de 18 julho 2000. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 19 jul. 2000. Seção 1, p.45-48.

BRASIL. Comitê Interministerial sobre Mudança do Clima (CIM). Plano nacional sobre mudança do clima (PNMC): versão para consulta pública. Brasília, 2008. 154 p. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/estruturas/169/_arquivos/169_29092008073244.pdf>. Acesso em: 01 out. 2010.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil: Texto consolidado até a Emenda Constitucional nº 70 de 29 de março de 2012. Brasília: Senado Federal, 2012. 61 p. Disponível em: <http://www.senado.gov.br/legislacao/const/con1988/con1988_29.03.2012/con1988.pdf>. Acesso em: 17 dez. 2012.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura (MEC). Sistema nacional de informações da educação profissional e tecnológica. 2012. Disponível em: <http://sistec.mec.gov.br/consultapublicaunidadeensino>. Acesso em: 12 nov. 2012.

BRASIL. Ministério da Integração Nacional (MI); Ministério do Meio Ambiente (MMA). Plano Amazônia sustentável (PAS): diagnóstico e estratégia. Brasília, 2004. v. 1, 113 p. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/casacivil/arquivospdf/pas.pdf>. Acesso em: 13 out. 2010.

BRASIL. Ministério de Minas e Energia (MME). Balanço energético nacional 2012 – ano base 2011: relatório final. Brasília, 2012. Disponível em: <http://www.mme.gov.br/mme/galerias/arquivos/publicacoes/BEN/2_-_BEN_-_Ano_Base/1_-_BEN_Portugues_-_Inglxs_-_Completo.pdf>. Acesso em: 10 dez. 2012.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). [Exportação dos principais produtos florestais brasileiro] In: Aliceweb. Brasília, 2012. Disponível em: <http://aliceweb.desenvolvimento.gov.br/>. Acesso em: 22 nov. 2012.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Exportação brasileira dos setores industriais por intensidade tecnológica. Brasília, 2010. Disponível em: <http://www.desenvolvimento.gov.br/sitio/interna/interna.php?area=5&menu=1113&refr=608>. Acesso em: 01 out. 2010.

BRASIL. MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE (MMA). Cadastro Nacional de Unidades de Conservação - CNUC (2010). Disponível em: <http://www.mma.gov.br/cadastro_uc>. Acesso em 29 setembro 2010.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente (MMA). Fundo Amazônia. 2012. Disponível em: < http://www.fundoamazonia.gov.br>. Acesso em: 07 dez. 2012.

BRASIL. MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE (MMA). Instrução Normativa n° 6, de 23 de setembro de 2008. Lista oficial das espécies da flora brasileira ameaçadas de extinção. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, DF, v. 145, n. 185, 24 set. 2008. Seção 1, p. 75-83.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente (MMA). Mapas de cobertura vegetal dos biomas brasileiros [2007]. Brasília, 2007b. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/portalbio>. Acesso em: 22 out. 2010b.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente (MMA). Plano de ação para prevenção e controle do desmatamento e das queimadas no cerrado: PPCerrado. Brasília, 2009. 152 p. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/estruturas/182/_arquivos/ppcerrado_consultapublica_182.pdf>. Acesso em: 01 out. 2010.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente (MMA). Quarto relatório nacional l para a convenção sobre diversidade biológica: Brasil. Brasília, 2011. 247 p. (Biodiversidade, 38).

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente (MMA). Secretaria de Biodiversidade e Florestas (SBF). Cadastro nacional de unidades de conservação (CNUC). Brasília, 2012. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/areas-protegidas/cadastro-nacional-de-ucs/dados-consolidados>. Acesso em: 22 out. 2012.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente (MMA). Secretaria de Biodiversidade e Florestas (SBF). Relatório de avanço da consolidação da gestão das unidades de conservação apoiadas pelo Programa Arpa 2010 – 2011. Brasília, DF, 2011b. Disponível em: <http://www.programaarpa.org.br/wp-content/uploads/2012/11/Relat%C3%B3rio-de-Progresso-2010-2011.pdf>. Acesso em: 08 nov. 2012.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente (MMA). Secretaria de Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável(SEDR). Bolsa Verde. Brasília, DF, 2011c. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/publicacoes/desenvolvimento-rural/category/140-bolsa-verde?download=872:bolsa-verde>. Acesso em: 08 nov. 2012.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Biodiversidade do cerrado e pantanal: áreas e ações prioritárias para conservação. Brasília: MMA, 2007a. 540 p., il. color. (Série Biodiversidade, 17).

BRASIL. Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Programa de Disseminação de Estatísticas do Trabalho (PDET): Bases Estatísticas RAIS/CAGED. Brasília, 2012. Disponível em: <http://sgt.caged.gov.br/>. Acesso em: 22 mar. 2012.

CONSELHO NACIONAL DE CONHECIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO (CNPQ). Financiamento para capacitação de recursos humanos para pesquisa e inovação. [mensagem pessoal]. 2013. Mensagem recebida por <carolina.mendes@florestal.gov.br> em jan. 2013.

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR (CAPES). Estatísticas. Brasília, 2012. Disponível em: <http://geocapes.capes.gov.br/geocapesds/>. Acesso em: 22 out. 2012.

FERRAZ, E. M. N.; RODAL, M. J. N.; SAMPAIO, E. V. S. B. Physiognomy and structure of vegetation along an altitudinal gradient in the semi-arid region of northeastern Brazil. Phytocoenologia, Sttutgart, Germany, v. 33, p. 71-92, 2003.

FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION OF THE UNITED NATIONS (FAO). Global Forest Resources Assessment 2005: Country Reports, Brazil. Rome: FAO, 2005. 104 p.

FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION OF THE UNITED NATIONS (FAO). Global Forest Resources Assessment 2010: Country Reports, Brazil. Rome: FAO, 2010. 110p.

FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION OF THE UNITED NATIONS (FAO).Global forest resources assessment FRA 2005: terms and definitions. Rome, 2004. 34 p. Disponível em: <http://www.fao.org/forestry/media/7797/1/0/>. Acesso em: 10 jun. 2010.

FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION OF THE UNITED NATIONS (FAO).Global forest resources assessment FRA 2010. Rome: FAO, 2010. 340 p.

FOREST STEWARDSHIP COUNCIL (FSC). FSC Certificate Database. 2010. Disponível em: <http://info.fsc.org/>. Acesso em: 01 out. 2010.

FOREST STEWARDSHIP COUNCIL (FSC). FSC Certificate Database. 2012. Disponível em: <http://br.fsc.org/fatos-e-nmeros.188.htm>. Acesso em: 04 dez 2012.

FUNDAÇÃO NACIONAL DO ÍNDIO (FUNAI). Situação fundiária indígena. Brasília, 2012. Disponível em: <http://mapas.funai.gov.br/dados/pdf/BRASIL_11_2012.pdf >. Acesso em: 28 nov. 2012.

FUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO. Florestabilidade. 2012 Disponível em: <http://www.frm.org.br/>. Acesso em: 04 dez. 2012.

FUNDAÇÃO SOS MATA ATLÂNTICA; INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE). Atlas dos remanescentes florestais da Mata Atlântica: período 2010-2011, dados parciais dos estados avaliados até maio de 2011. São Paulo, 2012. Disponível em: <http://www.sosma.org.br/5690/frente-ambientalista-debateu-atlas-da-mata-atlantica/>. Acesso em: 22 jul. 2010.

FUNDAÇÃO SOS MATA ATLÂNTICA; INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE). Atlas dos remanescentes florestais da Mata Atlântica: período 2005-2008. São Paulo, 2009. Disponível em: <http://mapas.sosma.org.br/site_media/download/atlas%20mata%20atlantica-relatorio2005-2008.pdf>. Acesso em: 22 jul. 2010.

FUNDAÇÃO SOS MATA ATLÂNTICA; INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE). Atlas dos remanescentes florestais da Mata Atlântica: período 2008-2010: dados parciais dos estados avaliados até maio de 2010. São Paulo, 2010. Disponível em: <http://mapas.sosma.org.br/site_media/download/atlas-relatorio2008-2010parcial.pdf>. Acesso em: 22 jul. 2010.

GARIGLIO, M. A.(Org) et al. Uso sustentável e conservação dos recursos florestais da caatinga. Brasília: SFB, 2010.

HUBBELL, S.P.; HE, F.; CONDIT, R.; BORDA-DE-ÁGUA, L; KELLNER, J.; STEEGE, H. How many tree species are there in the Amazon and how many of them will go extinct? PNAS, v.105, august 2008. p. 11.498-11.504.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). [Desmatamento: definição]. Brasília, 2002. Disponível em: <http://www.ibama.gov.br/desmatamento/home_conceitos.htm>. Acesso em: 17 dez. 2012.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo agropecuário 2006. Rio de Janeiro, 2007a. 777 p.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Mapa da Vegetação do Brasil. Rio de Janeiro, 2004a. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/noticia_impressao.php?id_noticia=169>. Acesso em: 19 out. 2010.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Mapa da Vegetação do Brasil. Disponível em: <ftp://ftp.ibge.gov.br/cartas_e_mapas/> . Acesso em: 20 ago. 2009.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Mapa de biomas do Brasil. Brasília: MMA; IBAMA, 2004b. Escala 1: 5.000.000.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Pesquisa agrícola municipal 2007. Rio de Janeiro, v. 38, 2011.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Pesquisa industrial anual 2007. Rio de Janeiro, v. 26, n. 2, 2009b.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Pesquisa industrial anual 2008. Rio de Janeiro, v. 27, n. 2, 2010.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Pesquisa industrial anual 2009. Rio de Janeiro, v.28, n. 2, 2011a.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Pesquisa industrial anual 2010. Rio de Janeiro, v.29, n. 2, 2012.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Pesquisa industrial. Rio de Janeiro, v. 25, n. 2, 2006. 188 p.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Pesquisa industrial. Rio de Janeiro, v. 26, n. 2, 2007. 188 p.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Pesquisa industrial. Rio de Janeiro, v. 27, n. 2, 2008. 208 p.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Produção da extração vegetal e da silvicultura 2007. Rio de Janeiro, v.22, n. 2, 2008.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Produção da extração vegetal e da silvicultura 2008. Rio de Janeiro, v.23, n. 2, 2009.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Produção da extração vegetal e da silvicultura 2009. Rio de Janeiro, v.24, n. 2, 2010.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Produção da extração vegetal e da silvicultura 2010. Rio de Janeiro, v.25, n. 2, 2011.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Produção da extração vegetal e da silvicultura 2011. Rio de Janeiro, v.26, n. 2, 2012.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Sistema IBGE de recuperação automática (SIDRA): banco de dados agregados. Sistema produção da extração vegetal e da silvicultura. Rio de Janeiro, 2011. Disponível em: <http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/pesquisas/pevs/default.asp>. Acesso em: 22mar. 2012.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Vocabulário básico de recursos naturais e meio ambiente. 2. ed. Rio de Janeiro: IBGE, 2004. 332p.

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS (IBAMA). Centro de Sensoriamento Remoto. Monitoramento do desmatamento nos biomas brasileiros por satélite: monitoramento do bioma Cerrado, 2002 a 2009. Brasília, 2009. Disponível em: < http://siscom.ibama.gov.br/monitorabiomas/>. Acesso em: dez. 2012.

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS (IBAMA). Dados de focos de calor. Brasília, 2012. Disponível em: <http://www.ibama.gov.br/prevfogo/areas-tematicas/monitoramento/dados-de-focos-de-calor/>. Acesso em: 22 mar. 2012.

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS (IBAMA). Documento de origem florestal (DOF). Brasília, 2012. [Base de dados]

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS - IBAMA. PrevFogo. Dados de foco de calor. Disponível em: <http://www.ibama.gov.br/prevfogo/areas-tematicas/monitoramento/dados-de-focos-de-calor/>. Acesso em: 01 out. 2010.

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS - IBAMA. Centro de Sensoriamento Remoto. Monitoramento do Desmatamento nos Biomas Brasileiros por satélite. Disponível em: <http://siscom.ibama.gov.br/monitorabiomas>. Acesso em: 20 mar. 2010.

INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE (ICMBio). Dados Gerais das Unidades de Conservação. Brasília, 2012a. Disponível em: <http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/comunicacao/downloads/planilha_editada.pdf>. Acesso em: 22 mar. 2012.

INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE (ICMBio). Unidades de Conservação Federais, Centros Especializados e Coordenações Regionais. Brasília, 2009. 1 Mapa, color., 1.000x900mm. Escala 1:5.000.000. Disponível em: <http://www.icmbio.gov.br/chicomendes/download/uc_federal_icmbio.pdf> Acesso em: 26 ago. 2009.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (INEP). Censo da educação superior 2010. Brasília, 2011. Disponível em: <http://www.inep.gov.br/superior/censosuperior/default.asp>. Acesso em: 22 mar. 2012.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (INEP). Censo da educação superior 2011: engenharia florestal [mensagem pessoal]. Brasília, 2012. Mensagem recebida por: <carolina.mendes@florestal.gov.br> em 06 nov. 2012.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (INEP). Censo da Educação Superior 2008. Disponível em: <http://www.inep.gov.br/superior/censosuperior/default.asp>. Acesso em: 10 jun. 2010.

INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL (INMETRO). Certificação florestal (CERFLOR). 2012. Disponível em: < http://www.inmetro.gov.br/qualidade/pdf/empresas-cerflor.pdf >. Acesso em: 04 dez. 2012.

INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO. Certificação Florestal - CERFLOR. Disponível em: <http://www.inmetro.gov.br/qualidade/cerflor.asp> . Acesso em: 30 mar 2010.

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS - INPE. Coordenação Geral de Observação da Terra - OBT. DEGRAD: mapeamento da Degradação Florestal na Amazônia Brasileira. Disponível em: <http://www.obt.inpe.br/degrad/> . Acesso em: 15 ago. 2009.

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS - INPE. Coordenação Geral de Observação da Terra - OBT. Projeto PRODES: monitoramento da Floresta Amazônica Brasileira por Satélite. Disponível em: <http://www.obt.inpe.br/prodes/> . Acesso em: 15 ago. 2009.

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE). DEGRAD: mapeamento da degradação florestal na Amazônia brasileira. 2011. Disponível em: <http://www.obt.inpe.br/degrad/>. Acesso em: 22mar. 2012.

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE). Projeto PRODES: monitoramento da floresta amazônica brasileira por satélite. 2012a. Disponível em: <http://www.obt.inpe.br/prodes/>. Acesso em: 22 mar. 2012.

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE). Sistema DETER: detecção do desmatamento em tempo real. 2012b. Disponível em: <http://www.obt.inpe.br/deter/index.html>. Acesso em: 22mar. 2012.

LENTINI, M. et al. Fatos Florestais da Amazônia 2005. Belém: Imazon, 2005. 141 p.

MINAS GERAIS. Instituto Estadual de Florestas(IEF). Bolsa verde. Belo Horizonte, 2011. Disponível em: < http://www.ief.mg.gov.br/bolsa-verde>. Acesso em: 08 nov. 2012.

OLIVEIRA, M. D. ; CALHEIROS, D. F. Flood pulse influence on phytoplankton communities of the south Pantanal floodplain, Brazil. Hydrobiologia, v. 427, p. 101-112. 2000.

ÓRGÃO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE (Oema). Sistema de controle e transporte de produtos florestais (Sisflora). Estados de Mato Grosso, Pará e Rondônia, 2011. [Base de dados].

SERVIÇO FLORESTAL BRASILEIRO & INSTITUTO DO HOMEM E MEIO AMBIENTE DA AMAZÔNIA (IMAZON). A atividade madeireira na Amazônia Brasileira: produção, receita e mercados. Belém: SFB & IMAZON, 2010. 20 p.

SERVIÇO FLORESTAL BRASILEIRO (SFB). Guia de Financiamento Florestal 2010. Brasília, 2010a. 39 p. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/estruturas/sfb/_arquivos/fomento6web_95.pdf>. Acesso em: 15 nov. 2010.

SERVIÇO FLORESTAL BRASILEIRO (SFB). Resolução nº4, de 23 de junho de 2008. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 25 jun. 2008. Seção 1, p.76.

SERVIÇO FLORESTAL BRASILEIRO. Cadastro nacional de florestas públicas: atualização ano base 2011. Brasília, 2012. 1 mapa. Escala 1:7.500.000.

SHEPHERD, G.J. Plantas Terrestres. In: LEWINSOHN, T.M. (Org.). Avaliação do estado de conhecimento da biodiversidade brasileira - volumes I e II. Brasília: MMA, 2006. 520p. Cap 7, p. 146-192.

SPAROVEK, G. et al. Brazilian agriculture and environmental legislation: status and future challenges. Environ. Sci. Technol., Washington, DC, v. 44, n. 16, p. 6046-6053, jul. 2010.

UNFCCC - United Nations Framework Convention on Climate Change - Acordo de Marrakesh e Declaração de Marrakesh. Disponível em: <http://unfccc.int/cop7/documents/accords_draft.pdf>.

UNITED NATIONS FRAMEWORK CONVENTION ON CLIMATE CHANGE (UNFCCC).The Marrakesh accords & the Marrakesh declaration. Marrakesh, 2001. Disponível em: <http://unfccc.int/cop7/documents/accords_draft.pdf>. Acesso em: 10 jun. 2010.

WWF. Amazônia viva!: uma década de descobertas, 1990-2009. Brasília, 2010a. 64 p.

WWF. ARPA: Programa Áreas Protegidas da Amazônia. Um novo caminho para conservação da Amazônia. Brasília, 2010b. Disponível em: <http://www.wwf.org.br/informacoes/bliblioteca/?26364/Resultados-da-primeira-fase-do-programa-Arpa-Areas-Protegidas-da-Amazonia>. Acesso em: 05 out. 2010.

Compartilhar:
  • Adicionar aos Favoritos (depende do seu navegador)
  • Facebook
  • Twitter

  • Banner
  • Banner
  • Banner