Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Metodologia IFN-SE

Última atualização em Terça, 19 de Junho de 2018, 17h05

Mapa da grade de pontos amostraisO Inventário Florestal Nacional (IFN) baseia-se na coleta de dados em campo para conhecimento da qualidade e condição das florestas, em milhares de pontos amostrais sobre todo o país.

Em Sergipe, a coleta de dados em campo ocorreu em 177 unidades amostrais (conglomerados) distribuídas sistematicamente sobre todo o território do estado. Do total de pontos, 59 integram a grade nacional de 20 km x 20 km do IFN. Os demais 118 pontos fazem parte de uma intensificação da amostra realizada em áreas de ocorrência de mananciais e de desertificação, visando gerar informações mais detalhadas sobre a condição das florestas nestas regiões.

Iniciada em março de 2014 e finalizada em outubro do mesmo ano, a coleta de dados em campo foi realizada por técnicos da empresa Flora Nativa, capacitados em curso ministrado pelo SFB sobre a metodologia do IFN.

As informações foram levantadas em dois componentes: coleta de dados biofísicos e levantamento socioambiental.

Mapeamento

As análises referentes à extensão dos recursos florestais de Sergipe basearam-se nos dados do mapeamento do Diagnóstico Florestal do Estado de Sergipe realizado pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos – Semarh em 2014.

 

Coleta de dados biofísicos

Em cada unidade amostral foi instalado um conglomerado com quatro subunidades amostrais de 20 m x 50 m, representando uma área total de 4.000m². Em cada subunidade foram levantadas as características de uso do solo e coletados dados da vegetação existente, como o diâmetro e altura total das árvores, cactos e palmeiras, que atenderam ao critério de inclusão do diâmetro à altura do peito (DAP) superior a 10cm. Foram também registradas a qualidade e a sanidade das árvores e coletadas amostras de material botânico (folhas, flores, frutos). Ainda, em cada subunidade, uma parcela menor (10 m x 10 m) foi destinada à medição de árvores com diâmetro entre 5 e 10 cm, e outras quatro (0,4 m x 0,6 m) destinadas ao levantamento das herbáceas. No total foram mensurados 4.220 indivíduos entre árvores e palmeiras e coletadas 1.465 amostras botânicas de espécies arbóreas, arbustivas, herbáceas e palmeiras.

Em cada ponto amostral foi feita a classificação do uso da terra, medição da necromassa, coleta de amostras do solo, dentre outras observações.
Os dados coletados em campo foram enviados ao SFB para consolidação e análises. As coletas botânicas foram enviadas para o Herbário da Universidade Federal de Sergipe – ASE para a identificação das espécies, que foi concluída em abril de 2016.

Levantamento socioambiental

Em um raio de 2 km de cada conglomerado foram selecionados aleatoriamente 4 domicílios para aplicação do questionário socioambiental. A coleta de dados socioambientais foi feita por meio de entrevistas domiciliares e teve como objetivo obter informações sobre o uso local e a percepção dos recursos florestais. Foram entrevistados 1.034 moradores rurais que vivem no entorno dos pontos de coleta de dados do IFN-CE.

Baixe o relatório com os principais resultados do IFN-SE.

Fim do conteúdo da página