Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Prêmio SFB de Economia e Mercado Florestal > Informações Florestais > Prêmio SFB em Estudos de Economia e Mercado Florestal > Monografias - V Prêmio Serviço Florestal Brasileiro em Estudos de Economia e Mercado Florestal
Início do conteúdo da página

Monografias - V Prêmio Serviço Florestal Brasileiro em Estudos de Economia e Mercado Florestal

Última atualização em Quarta, 28 de Março de 2018, 15h46

A quinta edição do Prêmio em Estudos de Economia e Mercado Florestal teve 35 inscrições, de trabalhos nas categorias Graduando, Profissional. O IV Prêmio em Estudos de Economia e Mercado Florestal é uma realização do Serviço Florestal Brasileiro, órgão vinculado ao MMA, e tem como objetivo de fomentar o debate econômico sobre o uso produtivo e sustentável das florestas. A ação é realizada em parceria com a Escola de Administração Fazendária (Esaf) e Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Neste ano, os vencedores, na categoria Graduando, foram: Lucas Almeida Nogueira da Costa/ Marcos Pires Mendes (1º lugar), Laís Ernesto Cunha (2º lugar), Arthur Santos Pereira (3º lugar). Na categoria Profissional, os vencedores foram: Rayane Pacheco Costa (1º lugar), Kalil Said de Souza Jabour (2º lugar), Elaine Lopes da Costa (3º lugar).

Confira os trabalhos inscritos nesta quinta edição:

Trabalhos Vencedores

Categoria Profissional

Autora: Rayane Pacheco Costa
Subtema: Impactos econômicos do novo Código Florestal
Resumo: Os serviços ambientais proporcionados pela vegetação nativa são importantes para toda sociedade, entretanto, são poucos os interessados pela conservação destas áreas. Assim, o Código Florestal estabelece um percentual obrigatório para a manutenção de vegetação nativa em imóveis rurais, mas estudos demonstram que o passivo de Reserva Legal é uma constante. Existem várias alternativas para a regularização, no entanto, a tomada de decisão do produtor rural em regularizar seu passivo, é incerta. Desse modo, buscou-se estimar em nível de município a demanda provável por regularização do passivo de Reserva Legal em diferentes cenários, nos estados do Pará e Mato Grosso. Para isto, foi construído uma árvore de decisão através de entrevistas estruturadas face a face com 77 produtores de 17 municípios que procurou refletir a tomada de decisão dos produtores rurais nos estados, utilizando dados secundários do Censo Agropecuário, balanço do passivo de Reserva Legal, preço e arrendamento da terra. Os resultados demostraram um crescimento da demanda por regularização em função das restrições consideradas do ponto de vista regulatório, partindo de uma demanda total estimada em 33% no cenário tendencial, 37% no cenário governamental, 78% no cenário mercadológico e chegando a 83% no cenário que combina exigências de governo e mercado. Os cenários analisados indicam fortes indícios de que as intervenções de cunho econômico e governamental poderão impactar diretamente no comportamento dos produtores rurais e consequentemente, na demanda por regularização.   Palavras-chave: Regularização Ambiental. Reserva Legal. Tomada de Decisão.

Universidade que cursou: Instituto Federal do Pará
Formação: Tecnologia em Gestão Ambiental

 Monografia
 Apresentação do trabalho

Autor: Kalil Said de Souza Jabour
Subtema: Comércio Internacional e Inserção do Setor Florestal Brasileiro
Resumo: Esta monografia procura abordar questões relevantes sobre as classificações internacionais de atividades e produtos florestais e a repercussão destas questões na conceituação e padronização adotadas na legislação, na literatura técnica brasileira sobre o tema e na elaboração de estatísticas. As classificações internacionais de atividades e produtos, dentre as quais se situam atividades e produtos florestais, apresentam matizes essencialmente europeus e norte-americanos que empobrecem um desdobramento tipológico nas estatísticas em relação aos nossos produtos e atividades. A harmonização global promovida pelas classificações internacionais funda-se em objetivos aduaneiros e na política internacional de negócios a partir da perspectiva de atividades e produtos predominantes na Europa e na América do Norte e, particularmente no tocante à atividades e produtos primários, tais atividades e produtos não são devidamente retratados e detalhados nas estatísticas nacionais e locais. Assim, este trabalho monográfico tem como proposta apresentar de modo sistemático as referidas classificações e diagnosticar as insuficiências e problemas tipológicos das classificações no sentido de colaborar para o aperfeiçoamento relativamente às atividades e aos produtos primários florestais nas classificações e estatísticas. Palavras-chave: classificação internacional, atividades florestais, produtos florestais

Universidade que cursou: UF-MG
Área: Ciências Juridicas e Sociais 

Monografia
Apresentação do trabalho

Autora: Elaine Lopes da Costa
Subtema: Produção, comercialização e consumo de produtos florestais madeireiros e não madeireiros nos biomas brasileiros.
Resumo: O papel dos produtos florestais não madeireiros (PFNMs) como estratégia para melhorar os meios de subsistência das florestas e conservar a biodiversidade ainda é causa de debate. Enquanto, uns exploram as maneiras pelas quais os PFNMs podem fazer parte de uma solução para o desenvolvimento e conservação da Amazônia (JARAMILO et al., 2017), outros pesquisadores apontam a necessidade de cautela antes de taxar os PFNMs como salvadores da floresta (PERES et al., 2003). Para os PFNMs temos uma literatura rica em “contextos específicos”, que revelam a enorme diversidade e complexidade dos sistemas sócio ecológico e econômico, mas, esse contexto específico é de difícil generalização e não permite uma visão ampla de como os dilemas do extrativismo na Amazônia podem ser abordados na escala da paisagem. Atualmente na Amazônia há três principais produtos do extrativismo borracha, castanha e açaí, esse último desde os anos 90 destronou os clássicos do extrativismo vegetal (castanha e borracha), maior produção e renda, e se consagrou como uma bebida energética. Entanto, no Bioma amazônico o açaí é o rei do extrativismo vegetal no estado do Acre quem está no topo da realeza do extrativismo ainda é a castanha, mas o extrativismo do açaí está em ascensão e hoje é o segundo produto do extrativismo vegetal no estado, é uma posição curiosa, já que a população extrativista acreana não possui tradição de coleta desses frutos. Neste trabalho é abordado como o mercado influencia na vida das famílias florestais no estado amazônico do Acre, mapeamos a sócio ecologia dos sistemas extrativistas do açaí e modelamos a ecologia (densidade e produtividade das palmeiras) e a sócio economia (preço, custos e rendas). Para responder se pode o açaí ser parte importante no desenvolvimento socioeconômico das famílias extrativistas acreanas. Os resultados apontam que o açaí não só pode e deve ser parte importante da estratégia de desenvolvimento socioambiental das famílias florestais no Acre, pois o estado possui um território altamente favorável à ocorrência de palmeiras e florestas com alto potencial de produção e renda de açaí.   Palavras-Chave: Produtos florestais não madeireiros da Amazônia brasileira, famílias florestais, sistemas extrativistas.
Universidade que cursou: Universidade Federal do Acre
Área: Engenharia Florestal

Monografia
Apresentação do trabalho

Categoria Graduando

Autores: Lucas de almeida Nogueira da Costa e Marcos Pires Mendes
Universidade que cursou: UFRJ
Área: Ciências Econômicas

Monografia
Apresentação do trabalho

Autora: Laís Ernesto Cunha
Universidade que cursou: UnB
Área: Engenharia Florestal 

Monografia
Apresentação do trabalho

Autor: Arthur Santos Pereira
Universidade que cursou: UnB
Área: Engenharia Florestal

Monografia
Apresentação do trabalho

 Trabalhos Inscritos

Confira as demais monografias que disputaram o prêmio, por ordem de inscrição:

Categoria Graduando


Autor: Juliana Lis do Carmo  
Monografia 
 


Autor: Lucas de almeida Nogueira da Costa  
 Monografia

Autor: Luciana da Silva Menezes 
Monografia

Autor: Arthur Santos Pereira 
 Monografia

Autora: Laís Ernesto Cunha  
Monografia 

Autor: Liun River da Paz    
Monografia

Categoria Profissional

Autor: Yonny Martinez Lópes
Monografia

Autora: Adriana Carolina Leão Carpi  
Monografia

Autora: Cilene Pereira de Oliviera  
Monografia 

Autora: Elaine Lopes da Costa
Monografia

Autora: Rayane Pacheco Costa
Monografia 

Autor: Maiara Neri Josino
Monografia 

Autor: Lucas Bertacini Viégas
Monografia

Autor: Gabriel Coimbra Rafael
Monografia
 

Autora: Patricia do Nascimento Vieira
Monografia 

Autora: Carolina Bonardi Pellizzari
Monografia 

Autora: Elane Conceição de Oliveira
Monografia 

Autora: Daisy Christiane Zambiazi
Monografia 

Autora: Thaise da silva Tonetto
 Monografia

Autora: Natália Camargo
Monografia -  Planilha

Autor: Guilherme Oguri
Monografia 

Autor: Daniel Amorim Souza Centurião
Monografia 

Autor: Ederaldo Godoy Junior
Monografia

Autora: Anielle Damasceno Viana
 Monografia

Autor: Kalil Said de Souza Jabour
 Monografia

Autor: Willian Vieira de Oliveira
Monografia 

Autor: Salim Calil Salim Neto
Monografia 

Autor: Eduardo Sonego Quissini
 Monografia

Autora: Debora da Silva Teixeira
Monografia

Autor: Pedro Gasparinetti Vasconcelios
Monografia

Autor: Julio Ricardo Caetano Tymus
Monografia

Autora: Iranilda Silva Moraes
Monografia

Autora: Elaine Aparecida Rodrigues
Monografia

Autor: Jurandir Luiz Buchmann
Monografia

Autora: Raphaela Cristina Andrade de Araújo
Monografia

Fim do conteúdo da página