Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Laboratório de Produtos Florestais
Início do conteúdo da página

Laboratório de Produtos Florestais (LPF)

Última atualização em Quarta, 09 de Novembro de 2016, 12h46

logo lpfO LPF viabiliza soluções tecnológicas para o crescimento sustentável da atividade florestal.

O Laboratório de Produtos Florestais foi criado em 1973 e, desde então, atua na área de tecnologia de madeira e outros produtos florestais, gerando, difundindo e transferindo conhecimento para contribuir com o desenvolvimento sustentável no setor florestal.

O LPF contribui para o atendimento da crescente demanda pela utilização dos recursos naturais, em conseqüência da política implementada pelo Serviço Florestal Brasileiro - SFB, ao qual se vincula como Centro Especializado.

O Laboratório de Produtos Florestais (LPF) há mais de quarenta anos atua pró-ativamente na busca de soluções tecnológicas que visam aprimorar o uso sustentável dos recursos florestais. Por meio da sua atuação o Brasil conhece mais e melhor o potencial de utilização de suas espécies florestais e de suas aplicações para os diversos setores da economia e da vida das pessoas. A incorporação do LPF ao Serviço Florestal Brasileiro fortalece a nossa missão de conciliar o uso e a conservação das florestas valorizando-as para o benefício das gerações presentes e futuras.

O LPF possui o objetivo básico de desenvolver estudos e pesquisas e transferir tecnologias que conduzam à utilização sustentável dos recursos florestais. Para isto, desenvolve projetos que visam:

  • desenvolver técnicas para a utilização e aplicação de produtos florestais madeireiros e não-madeireiros;
  • caracterizar tecnologicamente madeiras nativas e exóticas, com vistas à classificação em usos finais e a introdução no mercado;
  • introduzir, desenvolver ou adaptar equipamentos e métodos de processamento, que maximizem o aproveitamento da matéria-prima florestal e viabilizem a utilização dos resíduos gerados;
  • apoiar o controle e a fiscalização do comércio madeireiro, através da identificação de madeiras;
  • estudar fontes energéticas provenientes principalmente da biomassa florestal;
  • promover novas espécies de madeira e produtos florestais;
  • criar e manter um bancos de dados informatizados, colocando à disposição dos usuários informações sobre características, propriedades e usos de madeiras brasilieiras;
  • avaliar o rendimento do processo de conversão da matéria prima florestal;
  • difundir tecnologias, transferindo os resultados ao setor produtivo e propiciando o aperfeiçoamento e a capacitação de profissionais de instituições de ensino e pesquisa;
  • contribuir na padronização da aplicação de normas técnicas para melhoria de qualidade de produtos florestais;
  • contribuir com instituições de ensino superior, ministrando aulas teóricas e práticas, orientando alunos de graduação e pós-graduação, oferecendo estágios curriculares e extra-curriculares e colocando sua infra-estrutura à disposição das universidades.

O LPF é composto pelas Divisões de Pesquisa e de Desenvolvimento e Institucional, responsáveis, respectivamente, pelas atividades de pesquisa científica e tecnológica e de desenvolvimento institucional. Também há um Comitê da Qualidade, vinculado à Chefia do Centro, que se responsabiliza por implantar e monitorar o Sistema de Gestão da Qualidade do LPF

Chefia do LPF

  • Comitê da Qualidade

Divisão de Pesquisa

  • Anatomia e Morfologia
  • Biodegradação e Preservação
  • Energia da Biomassa
  • Engenharia e Física
  • Produtos Florestais
  • Química, Adesivos e Borracha Natural
  • Secagem

Divisão de Desenvolvimento e Institucional

  • Cooperação Técnica
  • Documentação e Informação
  • Difusão e Transferência de Tecnologias
  • Estatística e computação
  • Planejamento e Orçamento

Anatomia e Morfologia | Secagem | Produtos FlorestaisEngenharia e Física da MadeiraEnergia da BiomassaBiodegradação e Preservação da MadeiraQuímica, Adesivos e Borracha NaturalDocumentação e Informação

Área de Anatomia e Morfologia

anatomia Caesalpinia echinata

A área de Anatomia e Morfologia do Laboratório de Produtos Florestais tem como foco o estudo das estruturas anatômicas da madeira, buscando descrever os padrões celulares de cada espécie a fim de caracteriza-las sistematicamente quanto a sua anatomia e morfologia. 

A partir desse tipo de análise é possível realizar a identificação taxonômicas das diferentes espécies lenhosas; entender com maior profundidade as características adaptativas de cada uma aos seus respectivos ambientes e obter dados estruturais que irão subsidiar estudos de resistência, dureza, trabalhabilidade, potencial bioquímico, dentre outras linhas abordadas pelas outras áreas do LPF.

Nossas atividades incluem dar suporte a órgãos de fiscalização e controle do comercio, transporte e exploração de madeira como o IBAMA, Polícia Federal, Polícias Ambientais e Secretarias Estaduais de Meio Ambiente. Além disso, trabalhamos no desenvolvimento sustentável do setor madeireiro, melhorando a qualidade das informações relativas as identificações de espécies comercializadas por empresas do setor e estabelecendo cooperações científicas com universidade e instituições de ensino ligadas à pesquisa florestal.

Tal suporte se dá por meio da realização de identificação de amostras e fornecimento de laudos técnicos, oferecimento de cursos de capacitação em identificação anatômica de madeiras, colaboração e orientação em projetos de pesquisa de estudantes de graduação e pós-graduação, além do desenvolvimento contínuo de ferramentas para auxiliar a identificação taxonômica de espécies madeireiras, como por exemplo softwares interativos (chave eletrônica de identificação) e publicações técnicas.

Para tanto, o setor investe fortemente na manutenção e ampliação da Xiloteca Dr. Harry van der Slooten (coleção cientifica de madeiras), que atualmente abrange mais de 5000 amostras, distribuídas em mais de 2500 espécies.

Este acervo é fundamental para as atividades do setor e vem sendo aumentado a partir de expedições de coleta realizadas nos diversos biomas do Brasil, utilizando métodos não destrutivos de obtenção de amostras.
Nesse sentido, temos a Área de Anatomia e Morfologia como porta de entrada das árvores estudas pelo LPF. É aqui que elas ganham nome, são catalogadas e registradas, para então seguirem para os outros setores.

Área de Secagem

secagemEssa área estuda o comportamento da madeira submetida ao processo de secagem, tendo em vista que em seu estado natural a madeira apresenta alto teor de umidade e que a perda dessa umidade provoca alteração nas suas dimensões e propriedades, o que pode causar defeitos como empenos e rachaduras. São avaliadas a secagem natural (ao ar livre) e também a secagem artificial (em estufa). Além de desenvolver equipamentos e tecnologias em secagem artificial de madeira, o setor propõe programas para que as madeiras possam secar de acordo com suas características de modo eficiente e sem danos. Cada madeira tem seu próprio tempo de secagem e enquanto algumas, como a cupiúba e o piquiá, podem levar mais de um mês para secar, outras, como o marupá e o tauari, secam mais rapidamente, até mesmo em um ou dois dias. Assim, é importante compreender as características das diferentes madeiras e a melhor maneira de conduzir o processo de secagem visando a sua utilização.

A Área de Secagem também desenvolve estudos sobre o ponto de saturação das fibras, que indica o percentual de umidade em que a madeira começa a contrair, e desenvolve pesquisas que permitem estabelecer o teor de umidade de equilíbrio de cada região, essencial para que se conheça o teor de umidade ideal para a utilização da madeira em diferentes pontos do país.

Área de Produtos Florestais

paineis e produtosA área de Produtos Florestais desenvolve estudos visando desenvolver técnicas para a utilização e aplicação de produtos florestais madeireiros e não-madeireiros, promover novas espécies de madeira com incentivo a utilização e promoção de concurso de design em móveis e produtos florestais, caracterizar tecnologicamente espécies de bambu e seu aproveitamento em produtos de maior valor agregado e determinar a trabalhabilidade e usinagem de madeiras. Estudos são desenvolvidos sobre a utilização de materiais lignocelulósicos de espécies madeireiras e outras fibras de produtos não madeireiros tais como fibras de coco de babaçu e da baia, bagaço e palha de cana, entre outras. A aplicação de bambu em arquitetura e engenharia é pesquisada no uso dessa fibra para laminado colado em móveis e estruturas. Projetos executados e em execução englobam produtos como chapas de compensado, MDP (aglomerado), MDF, viga laminada, chapas de madeira com termoplásticos, chapas mineralizadas (cimento-madeira, fibrocimento), madeira engenheirada (OSB, LVL, Viga laminada, etc.). Desenvolvimentos recente de produtos é a utilização de embalagens longa vida pós-consumo na fabricação de novo composto cimento-madeira e chapas reconstituídas, com registro de pedido de patente. Faz parte do trabalho desta área também a participação em comitês de estudos e revisão de normas (ABNT).

Área de Engenharia e Física da Madeira

engenharia fisicaO Laboratório de Engenharia e Física tem se dedicado à geração de informações relativas às propriedades físicas e mecânicas da madeira e de produtos derivados. Esse laboratório também atua na determinação de usos finais com enfoque na construção civil, os quais formam a base indispensável à definição de processos de transformação e à promoção do uso racional da madeira nos canteiros de obras e, especificamente:

  • caracterização física e mecânica de madeira e de produtos derivados;
  • classificação de madeiras para fins estruturais;
  • desenvolvimento de projetos arquitetônicos e estruturais em madeira; e
  • desenvolvimento de sistema s construtivos em madeira pra construções pré-fabricadas.

Área de Energia da Biomassa

energia biomassa briquetes

 

Os estudos do LPF relacionados à energia de biomassa consideram produtos e processos envolvendo tanto madeira quanto outros materiais lignocelulósicos. Esse Laboratório atua integradamente com o setor produtivo e com instituições de pesquisa nacionais e internacionais, destacando-se: 

 

  • aprimoramento técnico de processos de produção de carvão vegetal e avaliação das propriedades físicas e químicas do produto final;
  • quantificação e qualificação de resíduos lignocelulósicos para produção de energia;
  • desenvolvimento e pesquisas sobre processos de compactação de carvão vegetal e resíduos lignocelulósicos;
  • avaliação e desenvolvimento de sistemas de geração de energia elétrica à base de lenha e resíduos vegetais;
  • estudo de pirólise, combustão e gaseificação para substituição de combustível fóssil no meio rural; e
  • tratamentos térmicos da madeira para modificação de suas propriedades físicas e químicas.

Área de Biodegradação e Preservação da Madeira

biodegradao lpf

Os trabalhos do Laboratório de Biodegradação e Preservação são orientados para a obtenção de informações básicas sobre a durabilidade natural de madeiras e produtos derivados, a permeabilidade e a retenção de preservativos pela madeira e o desempenho de tratamentos de proteção. Esses conhecimentos são utilizados na definição de processos de preservação e na seleção de preservantes adequados.

Área de Química, Adesivos e Borracha Natural

quimica

 

O Laboratório de Química, Adesivos e Borracha Natural desenvolve e apoia projetos integrados e outras atividades relacionadas a:

 

  • caracterização e determinação dos constituintes químicos da madeira, de produtos derivados e de outros
    materiais lignocelulósicos;
  • estudos sobre a resistência de madeiras e de produtos de acabamento ao intemperismo;
  • avaliação da qualidade de adesivos ou resinas por meio da determinação de suas propriedades físico-químicas e avaliação da performance de colagem de painéis à base de madeira e outros materiais lignocelulósicos;
  • determinação das propriedades químicas de produtos preservativos de madeira e da retenção de preservativo em madeira tratada; e
  • avaliação da qualidade da borracha natural beneficiada e bruta e classificação quanto ao tipo de borracha natural beneficiada.

Área de Documentação e Informação

O LPF possui um acervo de publicações técnicas, aberto ao público, com mais de 3 mil títulos, diretamente relacionados à área de tecnologia de produtos florestais. Constituindo-se em área de apoio aos demais setores, realiza ainda:

  • organização e coordenação de sistema de informação tecnológico em produtos florestais;
  • controle, organização e distribuição de publicações elaboradas pelo LPF; e
  • organização, manutenção e intercâmbio do material bibliográfico no âmbito nacional e internacional.

Mais sobre o LPF

Fim do conteúdo da página