Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Institucional
Início do conteúdo da página

Institucional

Última atualização em Sexta, 01 de Junho de 2018, 11h49

Serviço Florestal Brasileiro

Florestas Públicas: para sempre públicas, para sempre florestas.

 institucional

O Serviço Florestal Brasileiro (SFB) tem a missão de promover o conhecimento, o uso sustentável e a ampliação da cobertura florestal, tornando a agenda florestal estratégica para a economia do país.

Acesse:

O SFB é dirigido por um Conselho Diretor, composto por um diretor-geral e quatro diretores. Conta também com uma assessoria jurídica e uma Ouvidoria. O quadro de pessoal será constituído por meio da realização de concurso público ou da redistribuição de servidores de órgãos e entidades da administração federal direta, autárquica ou fundacional.

Seus recursos são oriundos do Tesouro Nacional; contratos de concessão e aplicação das penalidades contratuais; venda de publicações, material técnico, dados e informações; convênios ou acordos com entidades, organismos ou empresas públicas, ou contratos celebrados com empresas privadas; e doações, legados, subvenções e outros recursos.

A Lei de Gestão de Florestas Públicas (11.284/2006), que criou o SFB, estabelece, no artigo 55, as competências do órgão. De acordo com a Lei, o SFB atua exclusivamente na gestão das florestas públicas e tem por competência:

  • Exercer a função de órgão gestor prevista no art. 53 desta Lei, no âmbito federal, bem como de órgão gestor do FNDF.
  • Apoiar a criação e gestão de programas de treinamento, capacitação, pesquisa e assistência técnica para a implementação de atividades florestais, incluindo manejo florestal, processamento de produtos florestais e exploração de serviços florestais.
  • Estimular e fomentar a prática de atividades florestais sustentáveis madeireira, não madeireira e de serviços.
  • Promover estudos de mercado para produtos e serviços gerados pelas florestas.
  • Propor planos de produção florestal sustentável de forma compatível com as demandas da sociedade.
  • Criar e manter o Sistema Nacional de Informações Florestais integrado ao Sistema Nacional de Informações sobre o Meio Ambiente.
  • Gerenciar o Cadastro Nacional de Florestas Públicas, exercendo as seguintes funções:
    a) Organizar e manter atualizado o Cadastro-Geral de Florestas Públicas da União.
    b) Adotar as providências necessárias para interligar os cadastros estaduais e municipais ao Cadastro Nacional.
  • Apoiar e atuar em parceria com os seus congêneres estaduais e municipais.

No exercício de suas atribuições, o SFB promoverá a articulação com os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, para a execução de suas atividades de forma compatível com as diretrizes nacionais de planejamento para o setor florestal e com a Política Nacional do Meio Ambiente.

Para a concessão das florestas públicas sob a titularidade dos outros entes da Federação, de órgãos e empresas públicas e de associações de comunidades locais, poderão ser firmados convênios com o Ministério do Meio Ambiente, representado pelo SFB.

Visão

Ser o órgão de excelência na gestão de florestas no Brasil.

Valores

  • Transparência: disponibilizar e comunicar informações, decisões, ações e resultados de forma acessível, frequente e clara aos seus servidores e à sociedade.
  • Comprometimento: agir com dedicação, proatividade e engajamento.
  • Inteligência institucional: utilizar plenamente o conhecimento consolidado, buscar o aprendizado contínuo, inovar em práticas de gestão pública, respeitar a diversidade de opiniões e valorizar a equipe e as interações organizacionais.
  • Valorização dos conhecimentos tradicionais: reconhecer e valorizar as potencialidades, as tradições e as culturas locais.
  • Participação social e cooperação: promover oportunidades de interação e ampla participação norteadas pelo interesse público.

O Planejamento Estratégico é ferramenta essencial para uma Administração Pública eficiente e focada em resultados. Essa ferramenta de gestão exige uma mudança de cultura do tipo funcional e fragmentada para um modelo organizacional integrado, o qual compreende um esforço conjunto da instituição.

Esse instrumento é utilizado pelas organizações para dar maior clareza quanto aos objetivos que o órgãos almejam alcançar, delimitando as entregas para a sociedade e para o próprio ambiente institucional. Dessa forma, o Planejamento Estratégico se torna instrumento de apoio para a tomada de decisões pelos dirigentes do órgão. Ademais, ter uma visão clara do que se pretende alcançar e de sua missão enquanto instituição pública é fator decisivo para o alcance de metas e resultados de forma mais eficiente e eficaz.

O Planejamento Estratégico compreende um processo de formulação conjunta de objetivos estratégicos que precisam ser desdobrados em ações desempenhadas pelo órgão a fim de que se alcancem os resultados almejados. Dessa forma, requer a construção de projetos ou iniciativas estratégicas de qualidade, bem como de planos de ações e metas, sempre observando as áreas prioritárias de atuação da organização.

O Planejamento Estratégico no SFB

Visando alavancar seus resultados organizacionais e aprimorar a sua gestão, em 2013, o Serviço Florestal Brasileiro, em parceria com a Agência de Cooperação Alemã (Gopa/GIZ), contratou consultoria especializada para a implementação da Gestão para Resultados no órgão.

Foram desenvolvidas 3 etapas do projeto: 1- análise de contexto; 2- definição da missão, visão, valores e objetivos estratégicos; e 3- definição de indicadores e metas organizacionais.

A primeira etapa apresentou diagnóstico que descreveu e avaliou o ambiente interno e externo (análise setorial) de atuação do SFB. A partir da análise de contexto, a segunda etapa teve como objetivo a elaboração de mapa estratégico contendo a missão, a visão, os valores e os objetivos estratégicos da instituição para o período de 2014-2015 e 2016-2019.

Entretanto, o período de transição que a instituição passou entre 2014 e o primeiro semestre de 2015, a incorporação das novas agendas (CAR e Código Florestal), as mudanças no Conselho Diretor e a elaboração do novo Plano Plurianual 2016-2019 acarretaram modificações no cenário de atuação do SFB, o que revelou a necessidade de se rever as diretrizes estratégicas, o mapa estratégico delineado e alguns dos produtos decorrentes.

Assim, considerando esse novo contexto, onde novas atribuições foram conferidas ao SFB, com a incorporação do Cadastro Ambiental Rural às agendas prioritárias da instituição, seguida por mudança do quadro de Diretores e, finalmente, a elaboração do Novo PPA 2016-2019, o Planejamento Estratégico do órgão passa por um processo de revisão. O Projeto de Revisão do Planejamento Estratégico tem como principal objetivo rever a estratégia delineada até o momento e adequá-la à agenda do SFB, em especial às novas atribuições relacionadas à implementação da Lei nº 12.605/2012. O marco inicial deste projeto foi realizado no dia 11 de agosto de 2015 a partir do diálogo do Diretor-Geral à equipe do SFB acerca das agendas estratégicas da instituição e as suas correlações.

A partir do diagnóstico realizado por meio da realização de entrevistas com servidores, gerentes, conselho diretor e o MMA para análise do ambiente interno e externo do SFB. A partir dessa análise, foi construída a proposta de revisão do mapa estratégico e respectivos indicadores estratégicos conforme documentos abaixo. Como próximos passos, estão o monitoramento dos indicadores e metas estratégicas, bem como a elaboração de processos que contribuam para a implementação dos objetivos da instituição.

 Demonstrações contábeis exigidas pela Lei 4.320/64 e notas explicativas

De Segunda a sexta-feira, exceto feriados e pontos facultativos, de 8h às 12h e de 14h às 18h. Para ver os contatos e endereços, acesse o Quem é Quem.

 

Fim do conteúdo da página