Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Prêmio Madeiras Alternativas

Última atualização em Sexta, 11 de Agosto de 2017, 14h33

premio madeiras alternativasO Prêmio Madeiras Alternativas é uma categoria especial do Prêmio Salão Design, considerado um dos principais eventos de design do país. Esta categoria é promovida em parceria entre o Serviço Florestal Brasileiro e o Sindicato das Indústrias de Móveis de Bento Gonçalves-RS (Sindmóveis), promotor do Salão Design.

Concorrem ao Prêmio Madeiras Alternativas móveis, acessórios domésticos ou de iluminação, produzidos com madeiras pouco conhecidas no mercado mobiliário e de acessórios domésticos. O primeiro critério de seleção dos concorrentes ao Prêmio é que as madeiras não façam parte de uma lista com 27 espécies madeireiras já bastante conhecidas deste mercado (ou deste segmento de mercado), lista esta definida pelo Laboratório de Produtos Florestais (LPF) do Serviço Florestal Brasileiro. Peças que utilizam madeiras de pinus e eucalipto também não concorrem. Atendida esta condição, o produto que mais se destacar entre os concorrentes das sete categorias do Salão será o vencedor do Prêmio Madeiras Alternativas.

O Prêmio é um importante canal de divulgação da importância do uso de novas madeiras para a viabilidade técnica e econômica do manejo sustentável na floresta amazônica.

O design ainda é a melhor estratégia para a promoção de novas espécies mediante a apresentação de produtos bem projetados, bem executados, com possibilidade de desenvolvimento tecnológico, com estética agradável e comprometidos com o desenvolvimento sustentável e com o uso racional dos recursos naturais.

O Prêmio foi criado em 1992 e já concorreram peças fabricadas com andiroba (Carapa guianensis), angelim-pedra (Hymenolobium petraeum), araracanga/guatambu/peroba (Aspidosperma sp.), araribá (Centrolobium tomentosum), cambará (Qualea sp.), catuaba (Thyrsodium schomburkianum), faieira (Roupala sp.), faveira (Parkia sp.), garapeira (Apuleia leiocarpa/molaris), goiabão (Chrysophyllum lucentifolium/ex-Pouteria pachycarpa), ipê (Handroanthus serratifolius/ex-Tabebuia serratifolia), jatobá (Hymenaea sp), jatobá (Hymenaea courbaril), jequitibá/tauari-vermelho (Cariniana micrantha), jequitibá-rosa/jequitibá (Allantoma sp.) jutaí-pororoca (Dialium guianense), louro-vermelho (Sextonia rubra), louro-faia (Euplassa sp.), muirapixuna (Chamaecrista scleroxylon/ex-Cassia scleroxylon), pau-amarelo (Euxylophora paraensis), roxinho (Peltogyne sp.), tauari (Couratari oblongifolia) e outras.

Confira as peças ganhadoras das edições anteriores.

 

Edição de 2017

2017 familia pi

O designer Alfio Lisi, da cidade de Leme, no estado de São Paulo, foi o vencedor do Prêmio de Madeiras Alternativas de 2017, do Salão Design, promovido pelo Sindicato das Indústrias de Móveis de Bento Gonçalves - Sindmóveis.

A edição de 2017 do Salão Design recebeu 776 inscrições das quais 130 trabalhos foram selecionados para a segunda etapa de julgamento que definiu os vencedores nas diversas categorias. Das peças selecionadas 70 utilizaram madeira em sua composição e concorreram ao Prêmio Madeiras Alternativas, promovido em parceria com o Laboratório de Produtos Florestais do Serviço Florestal Brasileiro.

A peça vencedora, batizada de “Família Pi”, foi fabricada com a espécie muiracatiara-rajada (Astronium lecointei).

O autor da peça recebeu como prêmios um troféu e uma viagem a Rondônia para conhecer o manejo florestal sustentável praticado pela Amata em uma área de concessão florestal gerida pelo Serviço Florestal Brasileiro. Além da muiracatiara-rajada foram encontradas as seguintes madeiras entre as peças selecionadas: angelim (Hymenolobium sp.), cumaru (Dipteryx sp.), faieira (Roupala sp.), garapa (Apuleia leiocarpa), ipê (Handroanthus sp.), jequitibá (Cariniana sp.), muiracatiara (Astronium sp.), peroba (Aspidosperma sp.) e tauari (Couratari sp.).

A cerimônia de premiação aconteceu em 9 de agosto, em São Paulo, durante a feira High Design Expo.

Para saber mais clique aqui.

Fim do conteúdo da página