Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Serviço Florestal Brasileiro premia monografias em Economia e Mercado Florestal

  • Última atualização em Sexta, 31 de Maio de 2019, 17h57

Sete monografias foram premiadas nas categorias profissional, estudante e menção honrosa. No total foram distribuídos mais de R$ 70 mil em premiação para vencedores

2019 05 31 Entrega VI Premio AO Serviço Florestal Brasileiro, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e a Escola Nacional de Administração Pública (Enap) realizaram, hoje (30/05), no auditório da CNI, a cerimônia de entrega do VI Prêmio Serviço Florestal Brasileiro em Estudos de Economia e Mercado Florestal.

O concurso de monografias tem como principal objetivo fomentar pesquisas relacionadas à temática da economia florestal e visa criar um arcabouço acadêmico que ofereça bases para a elaboração de políticas florestais mais eficientes, efetivas e eficazes. Além dos troféus e certificados, os vencedores também receberam premiações em dinheiro, entre R$ 25 mil e R$ 5 mil, somando mais de R$ 70 mil no total.

A cerimônia foi conduzida pelo diretor-geral do Serviço Florestal Brasileiro, Valdir Colatto, representando a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, e por representantes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Ministério do Meio Ambiente, Enap e CNI.

Também participaram da premiação a secretária-executiva do Ministério do Meio Ambiente, Ana Maria Pellini; a diretora de Relações Institucionais da CNI, Monica Messenberg; o presidente da Enap, Diogo Godinho Ramos Costa; o secretário adjunto de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação do Ministério da Agricultura, Pedro Correa Neto; e o diretor de Uso Sustentável da Biodiversidade e Florestas do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais (Ibama), João Pessoa Moreira Júnior.

Desenvolvimento Florestal

Para Valdir Colatto, a iniciativa do concurso promove o debate econômico sobre o uso produtivo e sustentável das florestas brasileiras. “Eu não tenho dúvida de que este material contribui muito para o desenvolvimento de uma nova opção de mercado para alavancar o desenvolvimento da economia florestal do nosso país”, afirmou o diretor-geral.

Para o diretor de Concessão Florestal e Monitoramento do Serviço Florestal, Paulo Carneiro, o prêmio é uma forma de o setor público e privado se aproximarem da academia. “O prêmio tem muita utilidade para nós, principalmente no caso desta edição, que trouxe vários trabalhos com relação direta com a missão do Serviço Florestal”, disse.

Já o especialista em Meio Ambiente da CNI, Mário Cardoso, destacou que o prêmio sinaliza um caminho para que a pauta florestal venha a ser uma pauta econômica.

Segundo Guilherme Alberto Almeida de Almeida, diretor de Inovação e Gestão de conhecimento da Enap, participação da Escola no prêmio dá-se não só em função da sua natureza de produzir conhecimento, mas, também, pela necessidade de ampliar a visibilidade destes conhecimentos, daí o apoio a este e outros prêmios país afora.

Premiados2019 05 31 Entrega VI Premio B

Na categoria profissional, foram contemplados Edson Rodrigo Toledo Neto, em 1o lugar, com o trabalho “Alternativas para definição do PIB florestal a partir do sistema de contas nacionais”; Vivian Barroso Almeida, em 2o lugar, com a monografia “Impacto da ocorrência de oco no rendimento volumétrico e financeiro da colheita de madeira na Floresta Nacional de Sacará-Taquera, Pará”; e Alan Ferreira Batista, 3o lugar, com o estudo “Silvicultura com espécies nativas e SAF – mercados, viabilidade e competitividade”.

Mari Aparecida dos Santos recebeu menção honrosa pelo estudo “Impactos Econômicos do novo Código Florestal, no Brasil, 2010 a 2030: uma análise integrada com base nos modelos Globiom-Brasil e Term-BR”.

Na categoria estudantes foram premiados, em 1o lugar, Edvaldo Pereira dos Santos, pelo estudo “Concentração e distribuição espacial da oferta brasileira de bioeletricidade florestal”; em 2o lugar, Emily Ferreira Martello, com sua “Análise da rentabilidade e aspectos sociais do extrativismo de castanha-do-Brasil no Município de Cotriguaçu – MT”. Carla Johanna Lessa Silva conquistou o 3o prêmio pelo estudo “A estratégia do manejo da madeira a nível de planejamento urbano e regional: o caso do noroeste fluminense”.

Na parte da tarde, os vencedores do concurso fizeram a apresentação oral de seus trabalhos e puderam responder a perguntas dos participantes do evento.

Conheça os trabalhos vencedores

registrado em:
Fim do conteúdo da página