Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Inventário Florestal em Pernambuco está avançado

  • Última atualização em Segunda, 10 de Abril de 2017, 11h17

Trabalho de coleta de dados em campoNa última sexta-feira (7), a equipe concluiu 20% do trabalho de coleta de dados em campo antes do prazo previsto

O ritmo de trabalho das equipes de campo do Inventário Florestal Nacional em Pernambuco (IFN-PE) está acelerado. O levantamento da situação das florestas pernambucanas teve início há menos de um mês, no dia 16 de março.

Na sexta-feira (7), foi concluída a coleta de dados em 50 das 249 unidades amostrais previstas em todo o estado, ou seja, 20% de todo o trabalho de campo. A programação era que estes 50 pontos fossem concluídos no dia 22 de abril.

Em cada unidade amostral, os técnicos coletam material botânico, amostras de solo e dados biofísicos das árvores, para avaliar a condição das florestas. Além disso, eles entrevistam quatro moradores rurais num raio de dois quilômetros do centro de cada área visitada.

Até o momento, foram feitas 198 entrevistas como parte do levantamento socioambiental do IFN. O objetivo é gerar informações sobre o uso e a percepção dos recursos florestais pelas populações rurais, de modo a possibilitar a elaboração de políticas e ações que levem em conta a realidade local.

O questionário inclui o levantamento dos produtos e serviços florestais usados, a percepção deles sobre a existência e a importância de florestas plantadas, uso de bambu, conhecimento sobre política florestal e sobre mudanças climáticas etc.

“Em 49 pontos fizemos as quatro entrevistas e somente em um ponto tivemos duas entrevistas realizadas. Isso pela falta de moradores na região e de estradas de acesso para encontrar mais casas”, conta Carla Mazzonetto, coordenadora das equipes de campo contratadas para o serviço.

Roteiro de trabalho

Nestas primeiras semanas, os técnicos estiveram em 37 municípios. Numa primeira etapa, eles trabalharam em região de Mata Atlântica em municípios próximos a Recife.

Em seguida, as equipes se deslocaram para o agreste pernambucano, em municípios como Garanhuns e Arcoverde. A mudança foi motivada pelo início do período de chuva, quando há uma maior ocorrência de flores e frutos nas plantas, o que facilitará a identificação das espécies.

Nesta segunda-feira (10), as equipes retomarão o trabalho de campo em região de Mata Atlântica, pelo município de Goiana. Eles deverão passar por outros oito municípios próximos.

Diário de campo

Estradas esburacadas ou mesmo falta de estradas, com direito a para-choque do carro quebrado. As equipes têm enfrentado diversas situações para garantir a ampla coleta de dados que vai revelar a condição das áreas de floresta em Pernambuco.

Mas eles também têm encontrado moradores hospitaleiros, que oferecem frutas, lanches e uma boa conversa, lindas paisagens e a oportunidade de conhecer de perto os recursos florestais do estado. O dia a dia no campo pode ser acompanhado na página do Serviço Florestal no Facebook, no álbum de fotos Diário de Campo – IFN Pernambuco.

Sobre o IFN

O Inventário Florestal Nacional é uma iniciativa de abrangência nacional, coordenada pelo Serviço Florestal Brasileiro (SFB), órgão vinculado ao Ministério do Meio Ambiente.

Em Pernambuco, o levantamento é realizado com recursos do Projeto GEF (Global Environmental Facility) de Apoio ao IFN, administrados pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), e com apoio do governo do estado de Pernambuco por meio da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas).

Saiba mais:

Fim do conteúdo da página